COLUNA MUSICALIZANDO

      Por Leila Sugahara 

 


Plano de aula para crianças de 3 a 6 anos de idade – o estágio do personalismo

 

 

            Hoje vamos conhecer uma menina inteligente, mas extremamente inquieta e curiosa. Morava com seus pais em uma casa modesta, mas muito aconchegante. Seus pais a chamavam de Cachinhos Dourados. E vocês sabem por quê? Pois é isso aí. Cabelos loiros e encaracolados, sempre um tanto bagunçados de tanto correr e pular. Vivia se escondendo pelos cantos para não ter que ajudar nas tarefas domésticas. E você? Ajuda sua mãe? Bem vou contar a história de “Cachinhos Dourados e os três ursinhos” para vocês (confira a história no quadro anexo).

 

            E assim, contextualizando e tornando a aprendizagem significativa para a criança, a professora introduz os elementos compostos pelas propriedades do som associando-os às personagens da história. A menina “Cachinhos Dourados” é representada por uma pequena melodia criada e cantada pela professora, toda vez que a personagem aparece. Os três ursos (pai, mãe e filho) e seus respectivos objetos (cadeiras, pratos e camas dos três ursos) são representados pelos triângulos em três tamanhos diferentes (1 grave, 1 médio e 1 agudo) e são tocados pelos alunos.

 

            Atividade 2 – Improvisação no teclado a partir da melodia de “Cachinhos Dourados”. Você pode propor aos alunos que criem uma melodia a partir do nome de cada um e de suas características, explorando livremente o teclado. Procure registrar a criação dos alunos, gravando, desenhando ou criando gráficos (representando a duração e a altura das notas, por exemplo), para poder retomar a atividade em outra aula.

 

            Atividade 3 – Jogo do “Morto ou vivo sonoro” – Trata-se de um jogo de percepção e discriminação auditiva dos sons graves e agudos. Os alunos devem agachar ao ouvirem o som grave e ao identificar o som agudo, devem se levantar. Para realizar este jogo, você pode utilizar qualquer instrumento musical (dois triângulos de tamanhos diferentes, flauta de êmbolo ou piano).

 

            Por fim, todos resolvem contar, ou melhor, cantar e tocar a história de “Cachinhos Dourados”. A flauta de êmbolo representando os três ursos (sons grave, médio e agudo) e “Cachinhos Dourados” representada por uma melodia tocada ao violão e arranjo criado pelos próprios alunos e executado com instrumentos de percussão.

      

            Para entender melhor a criança dos 3 aos 6 anos - Estágio do personalismo:

            De acordo com Henri Wallon, a criança dos 3 aos 6 anos encontra-se no estágio denominado por ele de personalismo, pois este estágio está voltado para a pessoa, para o enriquecimento do eu e para a construção da personalidade. É caracterizado pela exploração de si mesmo, como um ser diferente dos outros, iniciando assim o processo de discriminação entre eu e outro, revelada pelo uso insistente de expressões como eu, meu, não, etc. Neste estágio, a preponderância é afetiva e apresenta três fases distintas: oposição, sedução e imitação. A oposição deve ser compreendida como busca de afirmação de si, de constituição de si como pessoa, como processo de diferenciação em relação ao outro. A fase da sedução ou idade da graça é caracterizada pela exuberância dos movimentos, alcançada pela maturação motora e pela necessidade de ser prestigiada e admirada, tornando-se centro das atenções. Busca no outro a aprovação e ao se exibir, criança reconhece que pode ter sucesso ou fracasso. Quando a necessidade de aprovação e admiração não corresponde às suas expectativas, a criança torna-se ciumenta e competitiva. A imitação é marcada pela busca de modelos para poder compreender sua posição nas relações com os outros. Portanto, o estágio do personalismo é uma etapa decisiva na constituição da pessoa. As atividades descritas no plano de aula favorecem o desenvolvimento das crianças nas fases descritas por Wallon, pois a professora passa a ser o modelo, e as crianças têm oportunidade de vivenciar os diversos papéis e conviver com outras de sua idade em torno de atividades de interesse comum, constituindo-se também como grupo.

 

           


           

 

CACHINHOS DOURADOS

 

            Era uma vez, uma família de ursinhos: o Papai Urso, a Mamãe Urso e o Bebê Urso. Eles moravam numa linda casinha, no meio da floresta. O Papai Urso era o maior de todos e tinha uma voz muito grave. A Mamãe Urso era um pouco menor e tinha uma voz média. O Bebê urso era o menorzinho e sua voz era aguda.

            Um dia, pela manhã, quando se levantaram, iam tomar mingau, mas a Mamãe Ursa disse:

            - Este mingau está muito quente para ser tomado agora. Vamos dar uma voltinha na floresta enquanto ele esfria, e na volta a gente toma.

            Deixaram o mingau nas suas tigelinhas e saíram. Enquanto eles estavam fora, apareceu uma menina chamada Cachinhos Dourados, que morava do outro lado da floresta e tinha o mau costume de fugir de casa. Quando viu a casinha dos ursinhos, achou-a muito bonitinha. Aproximou-se e bateu na porta. Como ninguém respondeu, ela então meteu a mão na porta e entrou. Assim que entrou, logo à sua frente, na mesa da cozinha, ela avistou as tigelinhas de mingau. Olhou em volta e então disse:

          - Ôba, acho que alguém estava me esperando. Esse mingau parece delicioso.

            Provou o mingau da tigela maior, mas achou-o muito quente. Provou o da tigela do meio e achou-o muito frio. Então provou o da tigelinha menor e achou-o ótimo. Por isto, comeu todo mingau que havia nela.Depois, passou à sala, onde encontrou três cadeiras: uma grande e achou-a muito dura. Sentou-se na cadeira do meio e achou-a macia demais. Sentou-se na cadeirinha menor e achou-a muito confortável. Mas, sentou-se com tamanha falta de modos que a quebrou em pedaços.Depois, Cachinhos Dourados foi ao quarto dos ursinhos. Lá dentro havia três camas: uma grande, uma menor e uma menor ainda. Deitou-se na cama maior e achou-o muito dura. Deitou-se na do meio e achou-a macia demais. Deitou-se na pequenininha e achou-a muito boa. Ali ficou quietinha e acabou pegando no sono. Enquanto ela dormia, os ursinhos voltaram do passeio. Foram logo à cozinha para tomar o mingau e, com surpresa,

notaram que alguém tinha estado ali. Papai Urso perguntou com sua voz grave:
            - Quem mexeu no meu mingau?
            Mamãe Ursa perguntou com sua voz média:
            - Quem provou o meu mingau?
            Bebê Urso, com sua voz aguda, chorando, perguntou:
            - Quem comeu o meu mingau?

            Os três ursinhos foram à sala. Papai Urso olhou para sua cadeira e exclamou:
            - Alguém sentou na minha cadeira!
            Mamãe Ursa, com sua voz média reclamou:
            - Alguém também sentou na minha cadeira!
            Bebê Urso, chorando, queixou-se:
            - Alguém quebrou a minha cadeirinha!

            Foram andando para o quarto. Papai Urso olhou para sua cama e perguntou:
            - Quem esteve deitado na minha cama?
            Mamãe Ursa olhou para sua cama e disse:
            - Alguém esteve deitado na minha cama!
            Bebê Urso, com sua voz aguda, gritou:
            - Alguém está deitado na minha caminha!

            Cachinhos Dourados acordou com o grito de Bebê Urso.Ficou assustadíssima quando viu os três ursinhos no quarto. Saltou da cama, correu pelo quarto, pulou a janela e continuou correndo pela floresta, tão depressa quanto suas pernas podiam. E, daí por diante, nunca mais ela fugiu de casa.

 


 Para adquirir materiais didáticos para as suas aulas visite Nossa Loja virtual

 

 
  Site Map